top of page
Faixa blog livros.png
Buscar

Ciclo da água e o aquecimento global


O terceiro ano consecutivo de La Niña intensificou as secas existentes nas Américas, ao mesmo tempo em que causou inundações em partes da Ásia e da Oceania, de acordo com um relatório inédito divulgado pelo Global Water Monitor Consortium, liderado por pesquisadores da Universidade Nacional Australiana (ANU).


O Relatório constata que o aquecimento global está mudando o ciclo da água em todo o planeta, ao mesmo tempo em que alerta que eventos como secas repentinas se tornarão mais frequentes nos próximos anos.


O principal autor, professor Albert Van Dijk, disse que o relatório oferece uma visão única da disponibilidade global de água.


“Normalmente, leva muitos meses para que esse tipo de dados seja coletado, reunido, analisado e interpretado”, disse o professor Van Dijk, da Escola Fenner de Meio Ambiente e Sociedade da ANU.


“Ao fazer o melhor uso possível dos instrumentos de satélite que orbitam a Terra e ao automatizar todo o processo de análise e interpretação de dados, nossa equipe conseguiu reduzir esse tempo para alguns dias”.


O grupo combinou medições de água feitas em milhares de estações terrestres e por satélites para produzir informações atualizadas sobre chuvas, temperatura e umidade do ar, água no solo, vazão dos rios e volume de água em lagos naturais e artificiais.


Globalmente, em 2022, o ciclo da água foi dominado por águas oceânicas relativamente quentes no Pacífico ocidental e no leste e norte do Oceano Índico. Como resultado, uma forte onda de calor se desenvolveu no sul da Ásia no início do ano, seguida por uma monção muito úmida que causou grandes inundações no Paquistão.


Em outros lugares, na Europa e na China, ondas de calor extremas deram origem às chamadas ‘secas repentinas’ – secas que se desenvolvem dentro de alguns meses após ondas de calor severas, causando baixos fluxos de rios, danos à agricultura e incêndios florestais.


O relatório mostra que a temperatura do ar sobre a terra em 2022 seguiu a tendência de aquecimento de longo prazo, enquanto a umidade do ar está diminuindo.

“Isso significa que a natureza, as plantações e as pessoas precisarão de mais água para se manterem saudáveis, o que agrava o problema”, disse o professor Van Dijk.


“É uma previsão segura de que veremos cada vez mais ondas de calor e secas repentinas. Também vemos evidências do impacto do aquecimento global nas geleiras e no ciclo da água em regiões frias e, de fato, o derretimento das geleiras contribuiu para as inundações no Paquistão. Isso continuará até que essas geleiras desapareçam.”


Uma característica fundamental de 2022 foi que foi o terceiro ano consecutivo de La Niña. Isso causou problemas de inundação na Austrália, mas também aprofundou as condições de seca no oeste dos Estados Unidos e em partes da América do Sul.


No Brasil, no final de janeiro e fevereiro, fortes chuvas causaram inundações e deslizamentos de terra no Rio de Janeiro e regiões de Minas Gerais, ceifando pelo menos 286 vidas.


No final de maio, mais inundações e deslizamentos de terra no nordeste vitimaram pelo menos 127 pessoas e deixou milhares sem casa.


Outras inundações e deslizamentos de terra ocorreram em novembro e dezembro no sudeste do Brasil, com mais de 78.000 pessoas afetadas e 13.800 deslocadas.


“Ainda não se sabe se esses três anos de La Niña foram um acaso estatístico ou os primeiros sinais de algo mais sinistro”, disse o professor Van Dijk.


“Se os padrões de La Niña ou El Niño permanecerem por mais tempo no futuro, isso causará muitos problemas, com secas cada vez piores e inundações piores.”


O relatório também fornece uma perspectiva para 2023, com condições relativamente secas indicando o potencial para intensificar ou desenvolver secas em partes da América do Norte e do Sul, Ásia Central, China e Chifre da África. No entanto, as condições de La Niña estão diminuindo, então há esperança de que a disponibilidade de água possa em breve retornar a níveis mais normais em algumas dessas regiões.


O Global Water Monitor é uma iniciativa conjunta de várias organizações públicas e privadas de pesquisa e desenvolvimento que compartilham o objetivo de fornecer informações gratuitas, rápidas e globais sobre clima e recursos hídricos.


O relatório de 2022 e o explorador de dados do Global Water Monitor, que fornece acesso a todos os dados subjacentes, estão disponíveis publicamente em http://www.globalwater.online


25 visualizações0 comentário

Comments


1.png
2.png
4.png
5.png

Consultoria em Redução de Custos e Reúso Agrícola de Lodos

bottom of page