Buscar
  • jacquesbidone

Fogo e água: A história da relação entre um vulcão e uma fonte de água especial


Vulcão Cumbre Vieja, nas ilhas canárias Foto: Daniel Roca/AP.


O recente vulcão que entrou em atividade nas ilhas Canárias impressiona pela quantidade de lava, cinza e pela destruição por onde passa. O que às vezes passa despercebido é que as atividades vulcânicas também acabam afetando os aquíferos e captações de águas subterrâneas. Este arquipélago espanhol possui boa parte da água de abastecimento oriundo de fontes subterrâneas, e algumas delas com histórias bem interessantes. Aproximadamente 12 km de onde o vulcão Cumbre Vieja está neste momento causando preocupação a população local, no século XVII, uma fonte de água descoberta nas ilhas ficou conhecida no mundo inteiro, por possuir água com propriedades medicinais. Muitos europeus viajavam até a ilha para tratamento de sífilis, reumatismo, artrose, etc. Além disso, a água também era enviada em barris e garrafas para a américa e vendidas em pequenas quantidades. O local que se chamava “Fuente Caliente” ganhou fama e até mudou de nome para “Fuente Santa”. A exploração das suas águas passou a ser a atividade melhor remunerada do arquipélago por aquelas épocas.



Foto de um balneário de águas termais. Fonte aqui


Tudo mudou na manhã de 13 de novembro de 1677. A terra tremeu, e então o vulcão San Antonio de Fuencaliente, adormecido por séculos, entrou em erupção. O terremoto seguido da lava que seguiu jorrando por 10 dias. O terreno da fonte ficou soterrado por 70 metros de lava, e o mar logo abaixo recuou 400 metros. Este evento sepultou uma das atividades mais prósperas da ilha, para desespero dos enfermos que buscavam nas suas águas o alívio.



Local do vulcão Cumbre Vieja e o local do vulcão San Antonio, que destruiu a Fuente Santa. Fonte: Google Earth


A extração de água com propriedades medicinais de Fuente Santa acabaram, e então muitas pessoas nos 3 séculos seguintes tentaram sem sucesso escavar os escombros para tentar localizar a fonte de água soterrada. A cada nova geração, novas pessoas reuniam esforços em uma empreitada com novas tecnologias na tentativa de encontrar o aquífero. Havia dois problemas básicos: O primeiro, localizar a fonte. O segundo: cavar um poço estável. As rochas que se formaram a partir das lavas eram quebradiças, e um poço como conhecemos, com formato cilíndrico não era estável. A rocha se comportava como quando queremos fazer um buraco na areia molhada, na beira da praia.



Placa recente com uma alusão ao ano de erupção do vulcão San Antonio, em 1677. Fonte aqui


Somente em 2005, após escavações de uma galeria suportada, o aquífero foi encontrado por uma equipe de investigadores do governo canário, que conseguiu chegar de maneira segura até o local do antigo poço. Uma amostra de água foi coletada e analisada, e a fama da fonte foi confirmada em laboratório. A água se caracteriza por ser de fonte “cloreto de sódio carbogasosa", cujas características são muito apreciadas em fontes naturais e balneários.

O estudo realizado com a água, mostrou que ela possui grande quantidade de sais. É inodora e incolor, e possui um sabor salgado intenso, e emergem da fonte a 2 l/s. Abaixo se pode ver a composição química com detalhes, extraída de um estudo realizado em 2015.

Condutividade (uS/cm)

37.200

pH

7,89

Resíduo Seco (mg/l)

30.194

Temperatura na fonte (ºC)

42

Dureza (mg CaCO3/l)

4.844

Sílica (mg/l)

129

CO2 (mg/l)

398


Principais componentes mineralizantes:

Cloreto (mg/l)

14.900

Sulfato (mg/l)

3.090

Bicarbonato (mg/l)

1.878

Brometo (mg/l)

64

Sódio (mg/l)

8.638

Potássio (mg/l)

521

Cálcio (mg/l)

455

Magnésio (mg/l)

911

Com esta análise, sua característica é hipertermal, alcalina, de mineralização muito forte, extremamente dura, silícica e carbogasosa, se tratando de água cloreto-sódica, rica em sulfato, bicarbonato e magnésio.



Atual acesso á Fuente Santa. Fonte aqui



As águas termais já foram objeto de muitos estudos na aplicação tópica para patologias de pele ou aplicação via aérea para enfermidades no trato respiratório. A reativação da Fuente Santa nas Canárias como um balneário é um plano do governo local para o futuro, e a fonte que ficou soterrada por mais de 3 séculos por uma erupção vulcânica talvez poderá ver novamente turistas em buscas de suas águas com propriedades medicinais.


Fontes:


Características físico químicas y componentes mineralizantes de las aguas de la Fuente Santa. Isla de La Palma: indicaciones terapéuticas Disponível em: http://hidromed.org/hm/images/pdf/0386.BSEHM%202015_30(2)171-179_Navarro-E_FuenSanta.pdf


La íntima relación entre los volcanes y las aguas subterráneas de La Palma. Disponível em https://www.iagua.es/blogs/tatiana-izquierdo/intima-relacion-volcanes-y-aguas-subterraneas-palma


21 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

NPSH